quarta-feira, 2 de maio de 2012

Pianista paulistano vence o 11o Premio Nabor Pires Camargo


O vencedor Hercules Gomes em foto de Antonio da Cunha Penna

O pianista paulistano Hercules Gomes foi primeiro colocado no 11º Prêmio Nabor Pires Camargo – Instrumentista, realizado na última sexta-feira (27) no Instituto Deco20. O evento contou com a presença do prefeito Reinaldo Nogueira (PMDB), que parabenizou a Fundação Pró-Memória por mais uma edição “deste importante evento que enaltece a cultura brasileira assim como o músico e compositor indaiatubano Nabor Pires Camargo”.
Em apresentação solo o pianista tocou ‘Vá carregar piano’, de Nabor Pires Camargo, e ‘Corrupião’, de Edu Lobo. Natural de Vitória (ES), Gomes já se apresentou em importantes festivais de música no Brasil e exterior, como o Festival Internacional Jazz Plaza, em Cuba, o Brasil Instrumental, em Tatuí (SP), e o Cascavel Jazz festival, em Cascavel (PR). Atualmente integra o quarteto ‘Amanajé’ e outros grupos musicais.
O segundo lugar ficou com o piracicabano Rafael da Silva Barros, que apresentou no cavaquinho as canções ‘Lá vem chuva’, de Nabor Pires Camargo e ‘Um Tom para Jobim’, de Sivuca e Oswaldinho. O músico aprendeu a tocar vários instrumentos com seu pai ainda na adolescência. Fez curso de Mpb/Jazz no Conservatório de Tatuí e formou-se em música pela Universidade Metodista de Piracicaba. Integra o quinteto ‘Dona Zaíra’, que procura resgatar a música nordestina.
Pelo segundo ano consecutivo o clarinetista Matteo Ricciardi, de Belo Horizonte (MG) conquistou a terceira colocação no prêmio, dessa vez tocando ‘Comendo Fogo’, de Nabor Pires Camargo, e ‘Chorinho em Aldeia’, de Severino Araújo. Nascido na Itália, Ricciardi começou os estudos musicais na infância tocando saxofone. Aos 14, começou a dedicar-se aos estudos eruditos e migrou do sax para o clarinete, ingressando no conservatório Giuseppe Verdi, de Turim, onde completou bacharelado e mestrado.
O quarto colocado da noite foi Wellington Guimarães Gama, de Uberlândia (MG). Sua apresentação no bandolim incluiu as canções ‘Quanto dói uma saudade’, de Nabor Pires Camargo e ‘Fogo na Roupa’, de Ary Duarte e Altamiro Carrilho. A menção honrosa foi concedida a Eduardo Guarnetti Johansen de Bauru (SP), que tocou ‘Na boa vida’, de Nabor Pires Camargo e ‘Ternura’, de Sebastião Barros, no trombone.
Os jurados Mário Albanese, Francisco Araújo, João Alves da Silva (Bonfim), Silvio Santisteban e José Júlio Stateri avaliaram principalmente quesitos como técnica, fraseado, interpretação e sonoridade. O prêmio para o melhor músico foi de R$8 mil; o segundo colocado recebeu R$6 mil; o terceiro R$ 5 mil; e o quarto R$4 mil. O homenageado com a menção honrosa recebeu um prêmio no valor de R$ 2 mil.

Opinião
Para Antônio da Cunha Penna, conselheiro da Fundação Pró-Memória de Indaiatuba e um dos jurados da triagem, "fazer cultura é coisa para abnegados, no entanto é necessário fazê-la. O Prêmio Nabor todos os anos apresenta dez grandes instrumentistas tocando de graça para pouco mais de cem privilegiados", diz.
"Nunca houve tantos bons instrumentistas como agora, no entanto as pessoas estão cada vez mais refratárias à música para ser ouvida com os ouvidos, preferem as que se 'ouve' com o diafragma", queixa-se em relação ao pouco público presente.
O 11º Prêmio Nabor Pires Camargo – Instrumentista contou com 49 músicos inscritos, dos quais dez foram selecionados para a audição pública. A premiação foi apresentada pelo produtor e apresentador do Programa Chorinho Brasil na Rede Boa Nova de Rádio, João Tomás do Amaral e o show de encerramento feito pelo vencedor da última edição do evento, o acordeonista Bruno Moritz, de Brusque (SC).
O prefeito Reinaldo Nogueira e o presidente da Fundação Pró-Memória de Indaiatuba, Antonio Reginaldo Geiss, com os jurados

2 comentários:

outroladodasnotícias disse...

Parabéns Kimura!
Este foi o primeiro comentário que li sobre o evento (fantástico) promovido no Deco20.
Instrumentistas de grande talento. A tal ponto que muitos, assim como eu, tinham outras preferências para a premiação (claro que dentro de nossos próprios critérios).
Falta maior divulgação desse evento. Poucas pessoas conheceram ou sabiam que ele ocorreria. Parece coisa feita só para um seletíssimo grupo de pessoas ( o que destoa das palavras do Pena, acima).
A Secretaria de Comunicação da Prefeitura deveria ser informada sobre a importância desse evento e fazer a divulgação de forma competente.
Cumprimento-o, novamente, por ser uma voz clamando nesse deserto. Parabéns!

outroladodasnotícias disse...

Parabéns Kimura!
Este foi o primeiro comentário que li sobre o evento (fantástico) promovido no Deco20.
Instrumentistas de grande talento. A tal ponto que muitos, assim como eu, tinham outras preferências para a premiação (claro que dentro de nossos próprios critérios).
Falta maior divulgação desse evento. Poucas pessoas conheceram ou sabiam que ele ocorreria. Parece coisa feita só para um seletíssimo grupo de pessoas ( o que destoa das palavras do Pena, acima).
A Secretaria de Comunicação da Prefeitura deveria ser informada sobre a importância desse evento e fazer a divulgação de forma competente.
Cumprimento-o, novamente, por ser uma voz clamando nesse deserto. Parabéns!