sexta-feira, 11 de abril de 2008

De volta ao passado


Silvio Santos acaba de tirar o "Aqui e Agora" do ar, a exemplo do que já havia feito com o "Fantasia" semanas antes. Acossado pela concorrência da Record, o Homem do Baú apelou para a ressurreição de fórmulas do passado para tentar elevar o Ibope do SBT. Deu com os burros n´água, como se dizia antigamente.

As duas atrações não faziam parte da grade da emissora por uma razão: deixaram de atrair audiência. O que é velho e funciona continua no ar, como a "Praça é Nossa" e "Hebe Camargo". Há 20 anos, Jo Soares, contratado por Silvio para comandar uma versão do humorístico que ele tinha na Globo, percebeu que a mesma fórmula básica do "Faça Humor não faça a Guerra", criado por ele e Renato Corte Real nos anos 70, tinha se esgotado. Aí ele inventou o Jo Sores Onze e Meia e virou uma versão tupiniquim de Jonnhy Carson, que os jovens conhecem como David Lettermann (esclarecendo, Lettterman sucedeu Carson no Late Show). Duas décadas depois e de volta à Globo, tanto o programa - tão copiado desde então - quanto o Jo envelheceram muito. Mas permanecem firmes na grade como pioneiros e sobreviventes de tantos talk shows surgidos na TV brasileira a partir dele.

Vira e mexe, Silvio Santos tenta repetir seus êxitos de luta de guerrilha contra a poderosa Venus Platinada, mas os tempos são outros. Hoje existe uma terceira via com muita grana e motivação para bater tanto o SBT quanto a Globo. Dinheiro não falta ao Patrão do Lombardi, mas a motivação não parece ser a mesma dos tempos em que sua emissora criou ícones televisivos como Sérgio Mallandro, Mara Maravilha, Bozo, Vovó Mafalda e Chaves. Hoje, os ícones como Ratinho e Adriane Galisteu estão na geladeira, com data de validade pra vencer.

Um comentário:

Sissi disse...

Ainda bem que no final do mês sobra algum pra pagar canais de assinatura!!!! Posso ficar menos informada, mas feliz!!!!