quarta-feira, 18 de junho de 2008

Centenário da Imigração

Hoje se completam 100 anos da chegada do Kasato Maru ao porto de Santos, marcando o início da imigração japonesa ao Brasil. Existem registros de nipônicos que teriam vindo antes de 1908, mas a vinda de braços do País do Sol Nascente para trabalhar na lavoura de café começou com esse evento.
Como descendente, não posso deixar passar em branco esta efeméride, mesmo que meus avós tenham chegado quase vinte anos depois. Na verdae, entre a colônia, costumava-se distinguir quem veio antes e depois da Segunda Guerra Mundial, estes chamados de "Japão Novo".
Toda a mídia anda pegando carona nas festividades dos nikkeys - chamados aqui de nisseis - com matérias e programas especiais homenageando os imigrantes japoneses e seus descendentes.
Mas o que me chamou a atenção é o destaque dado pela Veja a - mais uma vez - Sabrina Sato. No ABc das contribuições nipônicas ao Brasil o semanário da Abril reservou um verbete à apresentadora do Pânico na TV. Não é a primeira vez que Veja baba na japa. Numa matéria interessantíssima sobre panturilhas, a revista alertou as incautas que invejam as babatas da perna da ex-BBB que desitissem de tentar, porque genética é destino. Até o detestável Diogo Mainardi dedicou um artigo à pinta de Sabrina.
Para Veja, esqueçam a atriz Daniele Suzuki - primeira atriz nikkey a conseguir destaque na Globo desde Cristina Sano (alguém se lembra da Flor do Oriente da novela "Roda de Fogo") - e a top Juliana Imai - que deixou o Paraná para brilhar nas passarelas internacionais. Paradigma de mulher nikkey bonita é a japa burra da RedeTV!, praticamente uma Carla Perez de olhos puxados.

daniele suzuki playboy juliana imai fashion rio verão 2007 sabrina sato54

Que Daniele Suzuki e Juliana Imai, que nada! O negócio da Veja é Sabrina Sato!

Um comentário:

Bárbara disse...

Ah eu sou mais a favor de fazerem uma reportagem da Daniele Suzuki
Mas né, a Sabrina Sato tem mais destaque e tal, então sobra para ela né

Fazer o que...A verdade é que ainda sou anonima hahahahahahahahahhaahhahahhahahaha sem noção.